Quero me cadastrar
Se você ainda não está cadastrado no iArremate, clique aqui para continuar.
Galeria Paiva Frade
Leiloeiro: Alexandre Paiva Frade
Arte e Antiguidades
18 e 19 de Maio de 2018 às 20:00hs
Descrição
IMPORTANTE: Este leilão será apregoado em (3) TRÊS PARCELAS,sendo o valor do lance, o valor da parcela. O pagamento poderá ser feito em CARTÃO DE CRÉDITO, modalidade: VENDA DISCADA. Para depósito À VISTA, entre em contato: (35) 3332 4150.No caso de arrematação os valores deverão ser quitados,em até 72 horas, após recebimento do E-MAIL DE COBRANÇA. O não cumprimento do prazo previsto, Leiloeiro dará por desfeita a venda e, por via de EXECUÇÃO JUDICIAL, cobrará sua comissão e a dos organizadores. DÚVIDAS POR FAVOR CONTATE: (35) 3332- 4150
Paginação
Ordenar
Exibir
131
ANTIGO SAMOVAR INGLÊS DE SHEFFIELD, SÉCULO XIX.
ESTILO GEORGIANO EM ELECTROPLATED MANUFATURA CRESWICK (1811-1902)*
MEDIDAS: 34 x 23 x 14 cm.
*FONTE: http://www.silvercollection.it/electroplatesilverCdue.html
132
Luiz Mondego
80 x 50 O.S.M.D.F
O Jardim
133
Adolf Rheinert (Düsseldorf, 1879 – 1956)
“O pintor do Baixo Reno”
TEMÁTICA: Naufrágio
MEDIDAS: 24 x 30 cm.
TÉCNICA: O.S.M.
MOLDURA: de época.

Rheinert, Adolf nasceu em 1879 e faleceu em 1956 na cidade de Düsseldorf. Pintor de paisagens foi aluno de Eugen Kampf, pintou principalmente paisagens litorâneas, e muitas vezes vilas holandesas repletas de figuras de marinheiros e mulheres esperando o retorno dos pescadores.
134
Dançarina - Antiga Luminária estilo ART DECO ( 1914-1940 ) em petit-bronze com pátina dourada. Semi-nu com adereços policromados e esmaltados, cabelos à la garçone. Base em baquelite e cúpula opalinada com policromia floral. Fiação menciona origem Uruguaya. Altura: 50 cm.
135
VITRINE no estilo francês LUÍS XVI. Madeira maciça folhada à rádica de raiz de nogueira. No frontão da reserva ornada por aplique em bronze lavrado e dourado no formato de vaso com guirlandas pendentes. Toda filetada em bronze: laterais, reservas, cimalha, apliques no formato de rocalhas, conchas e rosetas enriquecem o conjunto. Três prateleiras no centro, outras três nas laterais, sendo duas em vitrine. Medidas: 1,78 X 1,62 X 0,48 cm.
136
SCRIMSHAW - Mestre miniaturista - pintura em marfim figurando dois leões, paisagens e inscrições em mandarim. Técnica de pintura a nanquim sobre incisão em baixo relevo. China, século XX. Altura do vaso: 12,5 cm.
137
"Vintage money clip"- prata 925 mls, Peru. Figurando Lhama, marcada MML.
138
Antigo serviço de licoreiro e floreiro em grupo escultórico de bronze figurando "Cervo". Hastes e bases das garrafas em bronze Ormolu. Suspiro em cristal doublé rosado lapidado e acidado. Alemanha, século XIX. Medidas: 38 x 26 x 15 cm.
139
Par de floreiros porcelana alemã, numerada, anos 1920. Figurando graciosas mocinhas com bandolim, flauta e cãozinho. Modelagem em flores, galhos, frutas, delicada pintura manual e douração. Medidas: 17 x 20 x 12 cm e 17 x 22 x 11 cm.
140
ANDREA TAGLIAPIETRA- MURANO - Escultura em moldado de cristal "Pensador".
Com grande quantidade de pó de ouro 24k. O artista utilizou a tecnica do MASELLO que, consiste num grande bloco de massa vítrea processado sob calor para ser moldado. Este processo apareceu em Murano, pela primeira vez nos anos 20. A leveza deste processo tem sido amplamente adotada uma vez que permite alcançar resultados notáveis ​​artísticos.
Med: 20 x 9 x 11 cm.
TAGLIAPIETRA, hoje é um dos mais importantes nomes da cristaleria veneziana, nasceu em Murano nos anos 50, aos 14 anos de idade, seguindo os passos de seu pai Erminio, começou a trabalhar o com modelagem de cristal. Seu Pai era, na época um dos mestres de murano mais talentosos da empresa Salviati & Company.
Em sua juventude, começou primeiro trabalhando como aprendiz e depois como assistente até que se tornou um mestre dos cristais em 1979. No entanto, queria mais, em 1980, começou a criar obras que, como passar dos anos, o tornou popular e de sucesso por sua expressividade e particular estilo. Seu equilíbrio formal e cromática não deixavam em nada a desejar ante aos grandes artistas do século XX.
Hoje em dia é considerado um dos especialistas do massello e das técnicas Calcedonio. Algumas de suas criações são exibidas em coleções particulares e museus em Veneza, Milão, Palm Beach, Nova York, Chicago, Tóquio e muitas outras importantes coleções.
141
Floreiro com presentoir em prata portuguesa 800 ml.; ourives do Porto "Vicente Manuel de Moura"* Cinzelada, rebatida e burilada em flores e volutas. Diâmetros: 14 e27 cm.
*Marca registrada no Capítulo XI: Marcas de ourives do Porto anteriores ao ano de 1887, página 156 do livro de Imprensa Nacional Casa da Moeda, Volume 1.
142
W. Dolle, 1889
MEDIDAS: 16,5 x 22 cm.
TÉCNICA: O.S.Cartão
TÍTULO: "Blick auf Heidelberg von…"
Paisagem de Heidelberg, às margens do rio Neckar, com vista do confessionário da igreja.
MOLDURA: sob medida, madeira laqueada e folha ouro.
143
Wood & Sons (Trent, England 1865 - 2005) Antiga terrina (1910-1916)*, em porcelana branca com orla em policromia de miúdas rosinhas, marca reproduzida no site www.thepotteries.org/mark/w/wood_sons.html. Medidas: 19 x 38 x 20 cm.
144
Porta cartões de visitas, manufatura alemã W.M.F., modelo 223. Reproduzido no livro de 1906, página 170. Art Nouveau original: Formato fitomorfo figurando duas damas entre folhagens. Galerias vazadas. Medidas: 24 x 22 cm.
145
SZCZEBLEWSKI Bernard Wacław (1888 - 1965)
escultura assinada e intitulada:"Une Etoile"
FONTE: http://www.artinfo.pl/pl/katalog-aukcji/aukcja/sztuka-dawna/94d0f655/bernard-waclaw-szczeblewski/109-bernard-waclaw-szczeblewski-1888-19652/
BIOGRAFIA: Waclaw Bernard Szczeblewski (b. 11 do mês de Junho 1888 em Pelplin, d. 23 de julho 1965 em Gdynia) - pintor e professor polonês.
Ele se formou na Collegium Marianum em Pelplin e com a ajuda de material entre seus professores nos anos 1908 - 1918, estudou na Academia Real de Belas Artes de Dresden, onde se realizou numerosas viagens artísticas, incluindo para Londres, Paris e Viena. Para o país de volta em 1919 e em 1920 estabeleceu-se em Grudziadz. Em 1922 fundou uma empresa privada Escola Pomeranian de Belas Artes, utiliza as instalações em Biblioteca Municipal. Ao mesmo tempo, em 1930, ele ensinou desenho e pintura na formação de professores. Ele foi um defensor do movimento młodokaszubskiego e foi um dos organizadores da Associação de Kashubian. Motivos Cassúbios foram usadas na decoração interior da igreja em Chmielno e perdeu igreja guarnição .
Em 1933 ele se mudou com sua escola para Gdynia. Durante a ocupação pintou interiores de igrejas. Envolvidos em atividade clandestina Ranks cinza, após a prisão de seu filho Bernard em 1944, escondido no distrito de Kartuzy .
Depois de 1945 fez uma série de pinturas decoram as igrejas da Pomerânia, entre outros em Chmielno, Lebork, Lasin, Wejherowo, vitrais (fara em Wejherowo, Goręczyno), retábulos, bem como decorações em estabelecimentos de restauração , estabelecimentos comerciais, clubes, centros comunitários. No trabalho que muitas vezes chamou os motivos da arte popular Cassúbios.
Tem participado em várias exposições. 1919 ganhou da Academia de Dresden para retratos e pinturas de gênero em 1927, em Londres, o prêmio de pintura Panorama Grudziadz, 1938 Cruz da Independência, em 1961, o prêmio do Ministério da Cultura e Arte do 50º aniversário da atividade artística.
Wenceslas Szczeblewskiego esposa era Maria Rappoldi de Dresden.
Seu túmulo está no cemitério Witomińskim em Gdynia e uma das ruas nomeadas em 1991 em sua honra. Além disso, as placas em Grudziadz (Biblioteca Municipal) (1987) e Gdynia (ul. Pomorska 18) (1990) lembram-nos das atividades da Academia Pomeranian de Belas Artes. Seu nome recebeu o círculo de artistas Sociedade dos Amantes de Gdynia.
FONTE: https://pl.wikipedia.org/wiki/Wacław_Szczeblewski
146
Antigo solifleur em cristal da Bohemia, República Tcheca, década de 1940. Doublé em tonalidade rosada. Finíssima lapidação manual: losangos, cabochons e miudas serrilhas. Borda repicada, discreto bicado. Altura|:27 cm.
147
GAMA SENNIN- OKIMONO em marfim japonês periodo MEIJI (1868 -1912).
Medidas:15 x 5 cm.
O termo SENNIN significa "imortal" baseia-se na lenda do lendário alquimista chinês LIU HAI, do século X que aprendeu o segredo da imortalidade do Chan Chu ( "Sapo de Três Pernas"). Gama é um sábio benigno com um monte de conhecimento mágico sobre fórmulas mágicas. Ele é sempre acompanhado por um sapo e ele pode assumir a forma de um sapo. Ele também podia mudar sua pele e tornar-se jovem novamente.
FONTE: https://en.wikipedia.org/wiki/Sennin
FONTE: http://www.nantanreikan.ca/Glossary/G/Gama/Gama.html
148
Porta-pílulas antigo em forma de concha. Prata mexicana marcada. Medidas: 6 x 6 cm.
149
Antigo lavabo estilo inglês TUDOR, em madeira torneada. Tampo de mármore e espelho basculante, encimado por talha em brasão para gravação. Medidas: 154 x 90 x 47 cm.
150
Seis xícaras em porcelana marcada "HONG-KONG"-MADE IN BRAZIL". Esmaltagem manual ao estilo "MANDARIM-FAMÍLIA ROSA". Diâmetro: 14 cm.
151
Caixinha de rapé em osso. Incisões em baixo relevo figurando Rato, Dragões e escrituras - China. Medidas: 3 x 9 x 3,5 cm.
(...) Para poder falar das lindas tabaqueiras, ou caixas de rapé, que hoje figuram nos acervos dos mais tradicionais museus do mundo, é preciso primeiro falar do rapé. E para falar do rapé, é evidente, temos que começar pelo tabaco, planta que depois de seca e reduzida a pó, dá origem ao rapé (do francês “râper”, raspar).
A palavra “tabaco”, para os europeus, designava ao mesmo tempo a planta e o charuto confeccionado com suas folhas. É de origem espanhola e deriva do nome com que os arawak designavam sua pipa, um tipo de cachimbo com dois tubos. Os arawak habitavam as Grandes Planícies, o sudeste da América do Norte, as Grandes Antilhas e a Amazônia. Tudo indica que foram índios desse grupo linguístico os primeiros a ter contacto com Cristóvão Colombo, em 1492.
A cultura do tabaco existe na América há mais de 500 anos. As folhas secas eram enroladas, como já disse, para serem fumadas, ou mascadas, ou moídas e queimadas em pipas feitas com bambus ocos, nas cerimônias de paz entre as tribos, em rituais sagrados ou quando o curandeiro achava necessário afastar os maus espíritos. Eram também aspiradas, o que provocava muitos espirros, fato que chamou a atenção de Colombo e seus homens.
Foi o navegador quem levou a planta para a Europa e a introduziu nas cortes portuguesa e espanhola, onde passou a ser utilizada como simples ornamento. Na metade do século XVI o médico pessoal de Felipe II de Espanha dá a essa planta o título de “medicamento universal”. A primeira descrição que se conhece é do historiador espanhol Oviedo.
Os espanhóis adotaram a palavra tabaco que, por uma evolução semântica, passou a designar tanto o continente (o cachimbo) quanto o conteúdo (folhas secas da planta), e depois a própria planta.
O corsário Francis Drake foi o responsável pela introdução do tabaco na Inglaterra, em 1585, mas o uso de cachimbo só se generalizou graças a outro navegador, Sir Walter Raleigh. Um médico francês, de nome Jean Nicot (de onde deriva a palavra nicotina) usava-o como medicamento para curar as enxaquecas da rainha Catarina de Médicis. Na França, a palavra passou a designar também os locais onde se podia comprar tabaco.
Fonte: http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2010/02/objetos-de-arte-caixa-de-rape-de-luis-xv-1726-266471.html
152
WELLINGTON VILLELA
20 X 30
O.S.T.
PAISAGEM RURAL

Natural de Carangola - MG, 1958. Formado em publicidade no ano de 1977, passa a residir no Rio de Janeiro, onde trabalha como desenhista numa estamparia de tecidos. Ingressa no mercado publicitário como designer e ilustrador. Em 1994, começa a se dedicar ao óleo sobre tela nas horas livres, dividindo seu tempo entre a ilustração e a pintura. Daí por diante, a arte toma conta de sua vida. Passa a frequentar o M.N.B.A., inspirando-se nos mestres Nicolau Fachinetti, João Batista da Costa e Edgar Walter. Adota por temática o que trazia em gérmen, nas suas raízes mais profundas: a paisagem de sua saudosa Minas Gerais. Composições com locomotivas, Maria-Fumaça, gente do interior carros de bois. Devido ao seu dom e formação, é exímio desenhista. A luminosidade aplicada é sofisticada, e a estética é sempre muito equilibrada nas composições criteriosamente montadas em suas telas. Em 1999, pinta vários quadros para o acervo da Marinha do Brasil.
O artista, premiado nos inúmeros Salões de Arte de que participou, trabalha com importantes galerias do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais e tem suas obras figurando em grandes coleções no Brasil e exterior.
153
Antigo centro de mesa italiano, floreiro estilo Rose Ball, em alabastro. Montado em bronze lavrado, orla acrescida de pequenas rosas, e trempe original para arranjos com os caules. Cerca de 1940. Medidas: 20 x 32 x 32 cm.
154
TIKASHI FUKUSHIMA (Soma, Japão, 1920 – São Paulo, 2001)
Medidas: 45 x 53 cm
Abstrato, 1960
Foi um pintor e gravador nipo-brasileiro.Considerado um dos abstracionistas mais importantes do Brasil. Fukushima também produziu ao longo de sua carreira várias obras no campo do figurativismo. O artista recebeu inúmeras críticas positivas de inúmeros e importantes críticos de arte por suas produções tanto abstracionistas quanto figurativistas. Fukushima pertence à geração dos imigrantes pré-guerra, composta por imigrantes comuns que após várias mudanças em suas vidas despertaram para as artes plásticas, sendo que seu mestre foi Tadashi Kaminagai, quem Fukushima vê como mentor, mas que possuía estilo diferente de pintura da qual posteriormente desenvolveu. Suas obras foram apresentadas em exposições nacionais e internacionais.

Fukushima participou de grupos artísticos, como a Seibi-kai e o Grupo Guanabara, tendo o contato com inúmeros pintores, inclusive muitos de origem japonesa. O artista foi homenageado com muitos títulos e prêmios e muitas de suas obras foram adquiridas por importantes coleções no Brasil e de outros países. Ademais, foi membro da Comissão de Artes da Fundação Brasil-Japão de Artes Plásticas, presidente da Comissão de Artes Plásticas da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e presidente do Museu de Arte Nipo-Brasileiro. Vale destacar que recebeu a condecoração denominada a Ordem do Tesouro da Felicidade Sagrada, em 1997.
155
Rich. Seidl
Medidas: 65 x 90 cm.
O.S.T., assinado em 1952.
Identificado sobre a assinatura: a partir da pintura original de Hans Sterbik (Austrian, 1907-1944) Landschaft mit Kornmandln (Paisagem com feno), 1941.
156
Antigo conjunto para toilette em cristal europeu, lapidação manual chanfrada e canelada. Tampos arredondados em metal prateado. Consta de porta-escovas, dois perfumeiros e dois potes para cremes. Marcas não constam. Alturas: 18, 11 e 5 cm.
157
Seis taças antigas cristal gravação floral satineé. VINHO DO PORTO. Alt. 11 cm.
158
Antigo porta jóias em prata francesa, figurando "cão de guarda". Tampa articulada: a fechadura travada por corda se prende à boca do cãozinho. Gravação na tampa: Souvenir. No estado: consta solda na articulação.
Medidas: 11 x 6 x 6 cm.
159
Heinrich Fiedrich Fuger (1837)
Medidas: 11,5 x 10 cm.
Miniatura, pintura a óleo sobre placa de marfim.
Figurando dama com trajes de época, moldura original em bronze.
Consta de manuscrito no verso, onde identifica-se apenas o prenome Friedrich e a datação.
Os dois maiores mestres miniaturistas do século XIX são: Heinrich Fiedrich Fuger e Christian Friedrich Zincke.
160
Lote 12 garfinhos coleção prata peruana - Lhamas. Cabo torso.
Paginação
Institutos
apóiam
Contato
Telefone: (35) 99948-4697 / 99935-4693
Durante os pregões: (35) 3332-4478
E-mail: suporte@iarremate.com
Onde estamos
Rua dos Andradas, n.240, sl.5
São Lourenço - MG
CEP: 37470-000
© iArremate - Portal de Arte (2013-2016) - powered by PPSW
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta página da web pode ser reproduzida de nenhum modo, ou por qualquer meio, sem a prévia autorização por escrito de iarremate.com.
O uso ou cópia não autorizada de qualquer conteúdo deste site, incluíndo contas de usuários ou produtos oferecidos resultará no cancelamento permanente da conta.