I want to sign up
If you are not yet registered, click here to continue.
CÂNDIDO PORTINARI (1903 - 1962)
"Jesus Consola as Mulheres de Jerusalém - Passo VIII da Via Sacra" Desenho a grafite sobre papel
27 x 27 cm
1945,
No canto inferior direito, rubrica "CP". Inscrição no canto superior direito "8". Estudo para a pintura "Jesus Consola as Mulheres" - Igreja de São Francisco de Assis - Pampulha, Belo Horizonte [FCO 2487]
R$ 38.000,00
Obra: CATitude!
Artista: Nane Anders
Entidade beneficiada: Catland
Sobre a obra: "https://bit.ly/3ANFMzy"
Medidas (cm) do coração: 140x170x82 (AxLxP)
Medidas (cm) base*: 40x95x95 (AxLxP)
Materias: Fibra de Vidro, Tinta Acrílica e Verniz PU.
Pode ser exposta em ambiente interno ou externo.
*A base da escultura também faz parte desse lote."
R$ 6.000,00
Antonio Parreiras
ANTONIO PARREIRAS
CLICK AQUI E ASSISTA O VIDEO
dat 1921
Moça de Azul
med. 45x36 cm
Com carimbo da Exposição Geral de Belas Artes de 1921

Acompanha uma bela medalha da Exposição Internacional do Centenário da Independência - Rio de Janeiro. Onde Antônio Parreiras, conquistou todas as três medalhas de ouro no mesmo Salão da Exposição Internacional do Centenário da Independência e foi o Grande artista aclamado pelo público. Isso num momento onde toda a imprensa apoiava o movimento modernista e desprezava os grande acadêmicos.

Considerando dentre os maiores nomes já falecidos do Estado do Rio de Janeiro, está o de Antônio Parreiras. Pintor genial que ainda em vida, fora consagrado o mais eminente dos artistas entre os brasileiros.

Foi em um estabelecimento fotográfico, de Joaquim Insley Pacheco, fotógrafo da Casa Imperial, que Parreiras realizou a sua primeira grande mostra, em 1886.
Na época havia proximidade entre pintores e fotógrafos: foi no ateliê do fotógrafo Félix Nadar (1820-1910), que aconteceu a primeira exposição dos impressionistas em Paris, entre 15 de abril e 15 de maio de 1874. Na época, rejeitados pela crítica.

Do Grupo Grimm, foi um dos fundadores na década de 1880 quando, o alemão Johann Georg Grimm, reúne em torno de si um grupo de estudantes entusiasmados com pintar o naturalismo. Foram destaque na imprensa nacional, pois fazia ver, aos brasileiros, sua própria terra.

Os artistas que fizeram parte desse grupo são fundamentais dentro da história da arte brasileira, dentre eles: Antônio Parreiras, Castagneto, Garcia y Vasquez, França Júnior e Manuel Madruga

Dedicaram-se à pintar realísticas paisagens, e como grande desafio: O dificílimo tema de pedreiras.

Parreiras:

1878 – Solicitou inscrição no curso noturno de desenho da Academia Imperial de Belas Artes.

Em 1883, matriculou-se na Academia Imperial e, em 1884, saiu para pintar a “d'après nature” no Georg Grimm.

Em 1886 Dom Pedro II, visitou a casa do paisagista e adquiriu duas obras do pintor. Então a Academia encomendou algumas obras.

Em 1887, com recursos de suas obras adquiridas pela Academia viajou à Europa e, na França, montou seu próprio ateliê que tornou-se sucesso, e ainda, foi o segundo pintor brasileiro a expor no Salão de Paris. Nos vários anos entre Brasil e França, executou encomendas oficiais para edifícios públicos.

1888 - Em 27 de janeiro, numa exposição na Casa Insley Pacheco, na Rua do Ouvidor, duas foram adquiridas pela própria princesa Isabel.

Viajou para a Itália e durante dois anos frequentou a Academia de Belas Artes de Veneza e expôs, com sucesso, no Salão Permanente de Belas Artes em Veneza.

Em 5 de janeiro de 1890, retornou ao Brasil e ganhou medalha de ouro na Exposição Geral de Belas Artes

Tornou-se professor de paisagem na Academia e, em 1911, delegado da Sociedade Nacional de Belas-Artes.

Participa de inúmeras exposições de grande sucesso em São Paulo e Rio, e também travou uma propagada luta pela renovação da ENBA

Em 1898 foi contratado pelo presidente da República, Campos Salles, para produzir obras para o Supremo Tribunal Federal.

1905 - Contratado pelo governador do Pará executou em Belém a obra "A conquista do Amazonas" e expôs no Teatro da Paz, e no Palácio do Rio Negro de Manaus.

Em 1906, em Lisboa, conviveu com pintor José Malhôa e pintores do Grupo Leão. Em Paris, encontrava-se frequentemente com o casal Lucílio de Georgina de Albuquerque.

1907 - Retornou ao Brasil, mas já em 1909 tornou-se associado da Societé Nationale de Beaux Arts et Lettres de Paris.

Década de 1910 realiza inúmeras mostras e vai várias vezes a Paris, onde tem um ateliê.

1911 – participou da Exposição Universal de Turim.

Em 1915 expõe na Escola de Belas Artes, com seu filho, Dakir .

Em 1922 conquistou todas as Grandes Honrarias:
•Medalha de Ouro (Exposição do Centenário da Independência)
•Medalha de Honra (Exposição do Centenário da Independência)
•Grande Medalha (Exposição do Centenário da Independência)

1923 – Recebeu a medalha de honra de ouro na 30ª Exposição Geral de Belas Artes.

Foi eleito, em 1925, o maior artista do país no Grande Concurso Nacional realizado entre os leitores da revista Fon-Fon. segundo Rodolfo Bernardelli e terceiro lugar Baptista da Costa.

Em 1926 foi publicado o primeiro livro sobre Antônio Parreiras.

Em 1927, participou em vida, de uma homenagem oficial: a inauguração de seu busto em bronze, executado pelo francês Marc Robert, no Jardim Icaraí, atual praça Getúlio Vargas. Ainda entra para a Academia Fluminense de Letras.

Em 1935, no Salão Ibero Americano de Sevilha, bem como na Exposição Universal de Barcelona foi premiado com medalhas de ouro.

Em 1936, já doente e bastante debilitado, pinta ao ar livre, em viagens ao distrito de Barão de Javary, perto de Miguel Pereira.

Em 1937, no dia 17 de outubro, faleceu em sua residência de Niterói.

Segundo ele nos 55 anos fez mais 850 pinturas, sendo 720 no Brasil e fez 39 exposições.

Em 1942, por decreto-Lei, inaugura-se o Museu Antônio Parreiras, o primeiro museu brasileiro dedicado a um só artista, hoje tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico Nacional.

Medalha - Exposição Internacional do Centenário da Independência - Rio de Janeiro

É a maior exposição internacional realizada até hoje em terras brasileiras.
Grande Medalha das comemorações do Centenário da Independência.
A conhecida face ao motivo, tamanho e magnifico desenho.
Bronze, com 7,5 cm de diâmetro.

A Exposição Internacional do Centenário da Independência foi uma exposição realizada no Rio de Janeiro entre 7 de setembro de 1922 e 23 de março de 1923.

Participaram no total 14 países de 3 continentes.
O Brasil teve no total 6.013 expositores, representando todos os estados da federação.
No total circularam pela exposição mais de 3 milhões de pessoas.

Em artes plásticas, o pintor Antônio Parreiras, conquistou três medalhas de ouro, no mesmo Salão da Exposição Internacional do Centenário da Independência - Rio de Janeiro e foi aclamado pelo publico.
R$ 8.500,00
WELCOME TO THE GALLERIES, AUCTIONS IN BRIEF
Em cada galeria
partners
visit
PRÓXIMOS LEILÕES
Somente Online
Casa 8 Leilões
Hoje, 17:00hs
Leilão de Outubro
Errol Flynn Galeria de Arte
Hoje, 20:30hs
88° Leilão de Arte Bel Galeria - 26 e 27 de Outubro
Bel Galeria de Arte
Amanhã, 20:00hs
Leilão de Arte e Antiguidades
Cia Paulista de Leilões
Amanhã, 20:00hs
LEILÃO DE ARTE ON-LINE
Arte 7 Escritório de Arte
Amanhã, 20:30hs
Contact
Horário de Atendimento: das 12:30h às 17:30h, das 19:00h às 22:00h e em plantão durante os leilões.
Phone iArremate: (35) 99935-4693
E-mail: sac@iarremate.com
Where are we
Pça Ismael de Souza, 11, sala 9H - Estação
São Lourenço - MG
CEP: 37470-000
Plantão durante o pregão
Telefone: (35) 99948-4697
E-mail: suporte@iarremate.com
© iArremate - Portal de Arte (2013-2021) - powered by PPSW
All rights reserved. No part of this web page may be reproduced in any way or by any means without the prior written consent of iarremate.com.
The unauthorized use or copying of any content of this site, including user accounts or products offered will result in permanent account cancellation.