I want to sign up
If you are not yet registered, click here to continue.
languages
log in
subscribe
Galeria Paiva Frade
Auctioneer: Alexandre Paiva Frade
LEILÃO DE BELAS ARTES
11 de August às 20:30h
12 de August às 20:30h
Description
Da Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios (1808-1821) aos dias de Hoje. CLICK AQUI E ASSISTA O VIDEONeste leilão: Documentos do período Imperial,Esculturas e Pinturas do período Imperial aos dias de hoje.Obras de artista medalhista de ouro laureados pela primeira e principal instituição de arte no Brasil: A Escola Nacional de Belas Artes.Raríssima obra de Baptista da Costa que gerou a primeira medalha de ouro do período Republicano e varias obras de seu aluno o Mestre Cândido Portinari. Raras obras da família Parreiras: Antonio, Edgar e Dakir, Incluindo o importantíssimo pano de boca do extinto Teatro Carlos Gomes de Campinas. Obras da École de Barbizon e impressionista. Porcelanas Companhia das Índias.
IMPORTANTE: Esse leilão será apregoado A VISTA. MODALIDADES: DEPÓSITO BANCÁRIO. Entre em contato: (35) 3332 4150. No caso de arrematação os valores deverão ser quitados, em até 72 horas, após recebimento do E-MAIL DE COBRANÇA. O não cumprimento do prazo previsto, Leiloeiro dará por desfeita a venda e, por via de EXECUÇÃO JUDICIAL, cobrará sua comissão e a dos organizadores. DÚVIDAS POR FAVOR CONTATE: (35) 3332- 4150.
Pagination
Sort
Display
170
LEONOR FINI
( Buenos Aires, Argentina 30/08/1908-1996)
Litografia original numerada e assinada
ass. inf. dir.
Exemplar nº 97/280

REFERÊNCIAS:http://www.artnet.com/artists/leonor-fini/
Nascida em Buenos Aires, filha de pais argentinos e italianos, Leonor cresceu em Trieste, Itália, criada pela sua independente e determinada mãe, Malvina. Foi uma artista autodidata, aprendendo anatomia diretamente dos estudos de cadáveres no necrotério local e absorvendo técnicas dos velhos mestres através de livros e visitando museus.


MEDIDAS: 53 X 40cm, na moldura 87 X 76cm.

Após começar a pintar, foi para Milão, onde participou de sua primeira exposição individual em 1929, e depois em Paris em 1931.
Sua personalidade vivaz e suas roupas extravagantes garantiram-lhe um foco no mundo da arte parisiense e ela logo desenvolveu relacionamentos estreitos com os principais escritores e pintores surrealistas, incluindo Paul Eluard, Salvador Dali, Man Ray e Max Ernst, que se tornou seu amante por um tempo. O único surrealista que não podia suportar por causa de sua misoginia era André Breton. Embora ela repetidamente exibisse com eles, ela nunca se considerava surrealista. O negociante americano Julien Levy, muito impressionado com a pintura de Fini e ferido por seus encantos excêntricos, convidou-a para Nova York em 1936, onde participou de uma exposição de galeria conjunta com Max Ernst e conheceu muitos surrealistas americanos, incluindo Joseph Cornell e Pavel Tchelitchew. O trabalho dela foi incluído na exposição de arte fantástica, Dada e Surrealismo do MoMA, juntamente com De Chirico, Dali, Ernst e Yves Tanguy.

Em 1939, em Paris, organizou uma exposição de móveis surrealistas para seu amigo de infância, Leo Castelli, para a abertura de sua primeira galeria. As apresentações aos catálogos da exposição foram escritas por De Chirico, Ernst e Jean Cocteau.



Um tema predominante da arte de Fini é a relação complexa entre os sexos, principalmente a interação entre a mulher dominante e o macho passivo e andrógino. Em muitas de suas obras mais poderosas, a fêmea assume a forma de uma esfinge, muitas vezes com a cara da artista. Fini também foi uma retratista bem sucedida. Entre seus tópicos estavam Stanislao Lepri e Constantin (Kot) Jelenski (dois de seus amantes de longa data, com quem vivia simultaneamente, juntamente com mais de uma dúzia de gatos) e seus amigos, o escritor Jean Genet, as atrizes Maria Casarès, Anna Magnani, Alida Valli, e Suzanne Flon, a bailarina Margot Fonteyn, o diretor de cinema Luchino Visconti, os artistas Meret Oppenheim e Leonora Carrington, e as socialites Francesca Ruspoli e Hélène Rochas.

O amor de Fini pelo design para o palco e a tela pode ter derivado de sua paixão por máscaras extravagantes, trajes elaborados e drama fantástico. Ela criou projetos, figurinos e posters premiados para a Ópera de Paris e a Associação Metropolitana de Ópera, Le Palais de cristal de George Balanchine (agora chamado Sinfonia em C), Les Demoiselles de la nuit de Anouilh, Romeu e Julieta de Renato Castellani, Wagner's Tannhäuser, Bérénice de Racine, The Maids e The Balcony de Jean Genet, o 8 1/2 de Federico Fellini e A Walk With Love de John Huston, o primeiro filme de Anjelica Huston.

Bid
R$ 2.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 2.000,00 (BRL)
Cotações
$ 380.00 (USD)
$ 320.00 (EUR)
$ 37.040,00 (ARS)
Cotações
$ 380.00 (USD)
$ 320.00 (EUR)
$ 37.040,00 (ARS)
171
Quirino Campofiorito
Artista Prêmio de Viagem à Europa da ENBA
Belém, 1902 - Niterói, 1993
O.S.C.
Medidas: 22 x 28,5 cm. / 37,5 x 43,5 cm.
Ass. Datado 1977, Niterói.

Biografia

Em 1920, entra para a Escola Nacional de Belas Artes (Enba)
Em 1929 recebe da Enba o Prêmio de Viagem à Europa. Onde frequenta aulas na Académie Julian e na Académie de la Grande Chaumière.
Em 1931 e participa do Salon de Paris e também estuda na Academia de Belas Artes de Roma e, ainda em Roma, no Círculo Artístico e da Academia Inglesa.
Em 1933, participa do Salon d’Automne.
Em 1948, é eleito presidente do Núcleo Bernardelli.
Em 1938, torna-se professor interino da Enba.
Em 1949, assume a cadeira de artes decorativas.
Em 1961, torna-se vice-diretor da Enba em 1961.
Em 1981 é titulado Professor Emérito da UFRJ. P

A temporada na Europa recebe influência das vanguardas, que refletem em sua produção nos anos 1930,
em especial de Cézanne.
Foi um dos mais importantes artistas do início do século XX no Brasil.
Bid
R$ 1.200,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 1.200,00 (BRL)
Cotações
$ 228.00 (USD)
$ 192.00 (EUR)
$ 22.224,00 (ARS)
Cotações
$ 228.00 (USD)
$ 192.00 (EUR)
$ 22.224,00 (ARS)
172
QUAGLIA (João Garboggini Quaglia, Salvador, BA, 20 de dezembro de 1928 - São João del​-Rei, MG, 18 de agosto de 2014)
Óleo s/tela.
Composição geométrica com melancia.
50 x 60 cm. Assinado e datado.
1 bid
Bid
R$ 2.800,00 (BRL)
1 bid
Valor do lote
R$ 2.800,00 (BRL)
Cotações
$ 532.00 (USD)
$ 448.00 (EUR)
$ 51.856,00 (ARS)
Cotações
$ 532.00 (USD)
$ 448.00 (EUR)
$ 51.856,00 (ARS)
173
FUKUDA -
Kenji Fukuda (1943/2021).
Óleo sobre tela,
assinado no c.i.d.,
medindo 130 x 110cm.

Roberto Kenji Fukuda
Filho do imigrante japonês seus primeiros rascunhos datam dos 12 anos de idade. Sua escola é, principalmente, a Abstrata: Tachismo. Fukuda é conhecido por sua linha de trabalho em composição com manchas.

Participou das seguintes exposições coletivas:
em 1979, em São Paulo, na Mostra Senac;
em 1988, em Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ),
na Coletiva 80 Anos da Imigração Japonesa Brasil, na Galeria de Arte Ida & Anita e na Fundação Mokiti Okada.

Fora do Brasil:
em 1985, em Berlim
em 1989, Paris
em 1990, nos Estados Unidos.

Suas obras estão em acervos de grandes instituições:
em Genebra,
Miami,
Nova Iorque,
Paris
Iwakuni...
Bid
R$ 9.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 9.000,00 (BRL)
Cotações
$ 1,710.00 (USD)
$ 1,440.00 (EUR)
$ 166.680,00 (ARS)
Cotações
$ 1,710.00 (USD)
$ 1,440.00 (EUR)
$ 166.680,00 (ARS)
174
CÉLIA SHALDERS (1934).
óleo s/ tela colada em eucatex.
Paixão de Cristo: "Via".
170 X 100 cm. / 172,5 x 105 cm.
Assinado e datado (1984) no c.i.e.

BIOGRAFIA: Célia Shalders (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1934). Pintora, gravadora, desenhista, artista gráfica. Em 1965, integra o Ateliê Livre de Artes Plásticas na cidade do Rio de Janeiro, coordenado por Maria de Lourdes Novais (1923), com que estuda. É também aluna de Frank Schaeffer (1917), Ivan Serpa (1923-1973) e José Assunção de Souza (1924), entre 1965 e 1971. Em 1973 o crítico Antonio Bento apresenta na Bienal de Paris um audiovisual com trabalhos da artista, o que desperta o interesse da crítica européia e resulta em um convite para participar da Bienal de Biella, Itália em 1973 e em 1976. A partir da década de 1980, seus trabalhos em gravura cedem espaço à sua criação em pintura e na confecção de objetos.
FONTE: https://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8640/celia-shalders
FONTE: https://youtu.be/Pm-hv9HyeSo
Bid
R$ 6.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 6.000,00 (BRL)
Cotações
$ 1,140.00 (USD)
$ 960.00 (EUR)
$ 111.120,00 (ARS)
Cotações
$ 1,140.00 (USD)
$ 960.00 (EUR)
$ 111.120,00 (ARS)
175
CARLOS BRACHER (Juiz de Fora MG, 1940)
Artista premiado com o "Prêmio de Viagem ao Exterior" do Salão Nacional de Belas Artes
Óleo sobre tela.
73 x 54 cm/ 90 x 140 cm.
"Sé e Palácio Arquidiocesano, Mariana, MG.
DATADO: 1992

Em 1959, frequentou a Sociedade de Belas Artes Antônio Parreiras, em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Entre 1965 e 1966, em Belo Horizonte, é aluno na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Na Escola Municipal de Belas Artes estudou técnicas de mural e de mosaico com Inimá de Paula.

Em 1967, recebeu o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Belas Artes (SNBA)
Na Europa, fixa-se em Paris e Lisboa, estuda pintura e expõe em galerias locais.

Ao retornar ao Brasil em 1970 passa a residir em Ouro Preto, Minas Gerais.

Em 1989, realizou a retrospectiva de 30 anos de trabalho, "Pintura Sempre", em São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte.

Em 1990, Bracher percorreu os caminhos de Van Gogh realizando a série “Homenagem à Van Gogh”, com 100 telas pintadas no centenário de morte do artista. Expos em importantes museus da Europa, América e Ásia.

Em 1992, pinta a série Do Ouro ao Aço, sobre a siderurgia em Minas Gerais.

Em 2007, pinta “Série Brasília” e faz homenagem a Juscelino Kubitschek, pintando 66 quadros na capital expostos no Museu Nacional, projeto de Oscar Niemeyer.

Em 2012, realizou a Série Petrobras onde pinta, in loco, as refinarias. produzindo de 60 obras.

Em 2014, realizou a série “Bracher: Tributo a Aleijadinho”, nos 200 anos da morte de Aleijadinho.

Uma retrospectiva com 50 quadros, produzidos entre 1961 a 2006, percorre diversas cidades europeias já expostas no Museu de Arte Contemporânea de Moscou, Frankfurt, Praga, Estocolmo, Bruxelas, Bruges, Basileia, Dusseldorf, Luxemburgo e Gotemburgo.

Entre 2014 e 2015, Bracher ocupou as principais salas dos Centros Culturais Banco do Brasil nas cidades de Belo Horizonte, São Paulo, Rio de janeiro e Brasília, além do Centro Cultural Usiminas com a mostra "Bracher: Pintura & Permanência".

Foram editados vários livros sobre Bracher.
Bid
R$ 3.600,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 3.600,00 (BRL)
Cotações
$ 684.00 (USD)
$ 576.00 (EUR)
$ 66.672,00 (ARS)
Cotações
$ 684.00 (USD)
$ 576.00 (EUR)
$ 66.672,00 (ARS)
176
SYLVIO PINTO (Rio de Janeiro, RJ, 1918 - 1997)
Artista que recebeu o maior prêmio da Escola Nacional de Belas Artes: "Prêmio Viagem ao estrangeiro"
Medidas: 30 x 40 cm. / 74 x 63 cm .
Salvador BA

No Núcleo Bernardelli, no início década de 1930, pintou com José Pancetti, Armando Viana, Manuel Santiago, Bustamante Sá, Milton Dacosta, Ado Malagoli, Tadashi Kaminagai, Yoshiya Takaoka.

O Núcleo Bernardelli, foi criado para incentivar as inovações na Escola Nacional de Belas Artes e o movimento modernista na Capital da República.

Em 1943, obteve medalha de bronze do Salão Nacional de Belas Artes

Em 1948, obteve medalha de prata do Salão Nacional de Belas Artes

Em 1948, participou do 14º Salão Paulista de Belas Artes

Em 1949, participou do 15º Salão Paulista de Belas Artes

Em 1950, recebe medalha do ouro do Salão Baiano de Arte

Em 1951, participou do 16º Salão Paulista de Belas Artes

Em 1951, participou da 1ª Bienal Internacional de São Paulo

Em 1953, ganhou prêmio de viagem ao estrangeiro do Salão Nacional de Belas Artes, em Paris dividiu residência com Fernando P. e Inimá de Paula, estudando na Academia Julian.

Em 1955, obteve prêmio de viagem ao pais do Salão Nacional de Belas Artes

Em 1977 viajou aos Estados Unidos e realiza importante exposição internacional com suas obras.

Em 1981 montou um atelier em Ellenville, onde permaneceu por alguns anos.

Em 1985, Quirino Campofiorito, lança o livro "Sylvio Pinto - Vida e Obra em depoimentos".

Em 1985, integrou a mostra 100 Obras Itaú, no MASP - Museu de Arte de São Paulo.

Em 1988, recebeu a medalha Pedro Ernesto. A Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Em 1989, foi agraciado com a medalha de Honra ao Mérito na Assembleia do Rio de Janeiro.

Em 1991, em Portugal recebeu a medalha de Honra ao Mérito da Cultura de Portugal.

Em 1993, foi agraciado com a medalha de Honra ao Mérito da Cultura de Brasília.

Em 1993, o Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, inaugurou uma retrospectiva de sua obra.
Bid
R$ 1.800,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 1.800,00 (BRL)
Cotações
$ 342.00 (USD)
$ 288.00 (EUR)
$ 33.336,00 (ARS)
Cotações
$ 342.00 (USD)
$ 288.00 (EUR)
$ 33.336,00 (ARS)
177
SYLVIO PINTO( Rio de Janeiro, 1918 - 1997)
Artista que recebeu o maior prêmio da Escola Nacional de Belas Artes: "Prêmio Viagem ao estrangeiro"
MARINHA
O.S.E.
Medidas: 60 x 120 cm./ 92 x 152 cm.

No Núcleo Bernardelli, no início década de 1930, pintou com José Pancetti, Armando Viana, Manuel Santiago, Bustamante Sá, Milton Dacosta, Ado Malagoli, Tadashi Kaminagai, Yoshiya Takaoka.

O Núcleo Bernardelli, foi criado para incentivar as inovações na Escola Nacional de Belas Artes e o movimento modernista na Capital da República.

Em 1943, obteve medalha de bronze do Salão Nacional de Belas Artes

Em 1948, obteve medalha de prata do Salão Nacional de Belas Artes

Em 1948, participou do 14º Salão Paulista de Belas Artes

Em 1949, participou do 15º Salão Paulista de Belas Artes

Em 1950, recebe medalha do ouro do Salão Baiano de Arte

Em 1951, participou do 16º Salão Paulista de Belas Artes

Em 1951, participou da 1ª Bienal Internacional de São Paulo

Em 1953, ganhou prêmio de viagem ao estrangeiro do Salão Nacional de Belas Artes, em Paris dividiu residência com Fernando P. e Inimá de Paula, estudando na Academia Julian.

Em 1955, obteve prêmio de viagem ao pais do Salão Nacional de Belas Artes

Em 1977 viajou aos Estados Unidos e realiza importante exposição internacional com suas obras.

Em 1981 montou um atelier em Ellenville, onde permaneceu por alguns anos.

Em 1985, Quirino Campofiorito, lança o livro "Sylvio Pinto - Vida e Obra em depoimentos".

Em 1985, integrou a mostra 100 Obras Itaú, no MASP - Museu de Arte de São Paulo.

Em 1988, recebeu a medalha Pedro Ernesto. A Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Em 1989, foi agraciado com a medalha de Honra ao Mérito na Assembleia do Rio de Janeiro.

Em 1991, em Portugal recebeu a medalha de Honra ao Mérito da Cultura de Portugal.

Em 1993, foi agraciado com a medalha de Honra ao Mérito da Cultura de Brasília.

Em 1993, o Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, inaugurou uma retrospectiva de sua obra.
Bid
R$ 4.500,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 4.500,00 (BRL)
Cotações
$ 855.00 (USD)
$ 720.00 (EUR)
$ 83.340,00 (ARS)
Cotações
$ 855.00 (USD)
$ 720.00 (EUR)
$ 83.340,00 (ARS)
178
Luiz Aquila da Rocha Miranda (Rio de Janeiro RJ 1943),
"A Pintura e seu Pórtico"
Acrílica sobre tela
Medidas: 100 x 140 cm.
Assinado e datado 1994 na frente e no verso da obra.
Proveniente da coleção Rocha Miranda.
Rio de Janeiro/RJ.

Em 1959 teve aulas com com Aluísio Carvão e Oswaldo Goeldi.
Em 1962, estuda no Instituto de Arte e Arquitetura da Universidade de Brasília.
Em 1965, com bolsa do governo francês, reside na em Paris.
Em 1965, em Lisboa, trabalha na Sociedade de Gravadores Portugueses.
Até 1968 permanece na Europa.
Em 1968, torna-se professor da UnB, até 1972.
Em 1972, em Londres, e estuda na Slade School of Fine Arts.
Em 1978, coordena o Centro de Criatividade de Brasília - projeto da ONU para a Educação, Ciência eCultura - Unesco.
Em 1978 expõe na 27ª Bienal de Veneza.
De 1979 a 1986, leciona, aos jovens artistas da Geração 80, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage.
Em 1988, torna-se diretor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, até 1990.
Em 1983, participou da 17ª Bienal Internacional de São Paulo
Em 1985, participou da 18ª Bienal Internacional de São Paulo
EM 1989, participou da 20ª Bienal Internacional de São Paulo
Em 1992, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ realiza mostra retrospectiva de seu trabalho.
Em 1993, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp realiza mostra retrospectiva de seu trabalho.
Bid
R$ 19.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 19.000,00 (BRL)
Cotações
$ 3,610.00 (USD)
$ 3,040.00 (EUR)
$ 351.880,00 (ARS)
Cotações
$ 3,610.00 (USD)
$ 3,040.00 (EUR)
$ 351.880,00 (ARS)
179
ANGELO DE AQUINO (1945-2007).
"No meio do caminho",
técnica mista sobre papel
50 x 70 cm./52 x 72 cm.
Assinado e datado (1977) no c.i.d.
Espólio do Psicanalista Dr. Ivan Gomes Ribeiro (1918-2008).

É um dos precursores da Arte Postal/Mail Art e Videoarte no Brasil.
Na década de 1960, convive com Roberto Moriconi, Rubens Gerchman, Roberto Magalhães e Antonio Dias. Em 1965, é um dos organizadores do Propostas 65, na Faap, São Paulo.
Do fim dos anos 1960 até a década de 1970 cria obras conceituais, posteriormente ao abstracionismo geométrico.
Em 1970, realiza trabalhos em vídeo e filmes de arte é considerado um dos precursores no país.
Em 1970, com Walter Zanini, organiza a Prospectiva 74, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP.
Nos anos 1980, dedicar-se à pintura figurativa.
Em 1984, cria o personagem cão Rex.
Em 1994, realiza exposição comemorativa dos 10 anos do personagem.
Em 1994, expõe no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro - CCBB/RJ.
Em 1997, publica Vida Rex, reeditado em 2004, quando Aquino comemorou 40 anos de pintura na Casa França-Brasil, no Rio de Janeiro.
1 bid
Bid
R$ 2.500,00 (BRL)
1 bid
Valor do lote
R$ 2.500,00 (BRL)
Cotações
$ 475.00 (USD)
$ 400.00 (EUR)
$ 46.300,00 (ARS)
Cotações
$ 475.00 (USD)
$ 400.00 (EUR)
$ 46.300,00 (ARS)
180
Eugenio de Proença SIGAUD (1899 - 1979)
Serie CSN
34 x 25 cm
AQUARELA.
Em 1921, frequenta o curso livre da Escola Nacional de Belas Artes (Enba).
Em 1927, ingressa no curso de arquitetura da Enba, que conclui em 1932.
Em 1931, participa do 38º Salão Nacional de Belas Artes, organizado pelo urbanista Lucio Costa e conhecido como Salão Revolucionário que leva ao afastamento do urbanista da direção da instituição. Funda o Núcleo Bernardelli, junto de Quirino Campofiorito, Milton Dacosta, Joaquim Tenreiro e José Pancetti.
Em 1935 sigaud ingressa no Grupo Portinari, que se reúne em torno de Candido Portinari, tendo como uma de suas principais linhas de atuação a pintura mural.
Em 1935 sigaud torna-se um dos principais porta-vozes do muralismo ao publicar o artigo: "Por que É Esquecida entre Nós a Pintura Mural?", no Jornal de Belas Artes.

Em 1951 foi um dos artistas brasileiros selecionados para a 1ª Bienal Internacional de São Paulo

sigaud, projetou e decorou a Catedral Metropolitana de Jacarezinho, no Paraná, entre 1954 e 1957.

Bid
R$ 1.800,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 1.800,00 (BRL)
Cotações
$ 342.00 (USD)
$ 288.00 (EUR)
$ 33.336,00 (ARS)
Cotações
$ 342.00 (USD)
$ 288.00 (EUR)
$ 33.336,00 (ARS)
181
Eugenio de Proença SIGAUD(1899 - 1979)
Fase Fornos,
Óleo sobre cartão.
Medidas: 30 x 24 cm. / 41 x 35,5 cm.

Em 1921, frequenta o curso livre da Escola Nacional de Belas Artes (Enba).
Em 1927, ingressa no curso de arquitetura da Enba, que conclui em 1932.
Em 1931, participa do 38º Salão Nacional de Belas Artes, organizado pelo urbanista Lucio Costa e conhecido como Salão Revolucionário que leva ao afastamento do urbanista da direção da instituição. Funda o Núcleo Bernardelli, junto de Quirino Campofiorito, Milton Dacosta, Joaquim Tenreiro e José Pancetti.
Em 1935 Sigaud ingressa no Grupo Portinari, que se reúne em torno de Candido Portinari, tendo como uma de suas principais linhas de atuação a pintura mural.
Em 1935 Sigaud torna-se um dos principais porta-vozes do muralismo ao publicar o artigo: "Por que É Esquecida entre Nós a Pintura Mural?", no Jornal de Belas Artes.
Na década de 1940 retrata os auto fornos da CSN a convite de Getulio Vargas.

Em 1951 foi um dos artistas brasileiros selecionados para a 1ª Bienal Internacional de São Paulo

Sigaud, projetou e decorou a Catedral Metropolitana de Jacarezinho, no Paraná, entre 1954 e 1957.
Bid
R$ 1.500,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 1.500,00 (BRL)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
182
TOMÁS SANTA ROSA
João Pessoa, PB, 1909 / Nova Délhi, Índia -1956
Meninas
Óleo s/ tela
Ass. e datado CID, 1956.
Medidas: 52 x 63 cm, na moldura 85 x 73,5cm.

Foi um artista multimeios: cenógrafo, artista gráfico, ilustrador, pintor, gravador, decorador, figurinista e crítico de arte.

Famoso em meados do século XX, assinava capas de alguns dos escritores mais importantes daquela geração.

É reconhecido como o primeiro cenógrafo moderno brasileiro. Foi coordenador das montagens do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, sem licenciatura, dirigiu o Conservatório Nacional de Teatro e ministrou um curso de cenografia no SNT.

Foi o primeiro ilustrador de seu amigo, Stanislaw Ponte Preta de Sérgio Porto. Dedicou-se em muito ao designer gráfico.

Assinou a coluna de crítica de arte do Diário de Notícias.
Foi cenógrafo de Vestido de Noiva (1943), de Nélson Rodrigues. Entre os autores dos livros estavam José Lins do Rego, Rachel de Queiroz, Jorge Amado, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa e Carlos Drummond de Andrade.

Como pintor, influenciou sua geração e trabalhou com Cândido Portinari em diversos murais. Seu principal auxiliar e amigo, foi o grande artista Fernando P, que ao chegar no Rio de Janeiro residiu no estudio de Santa Rosa e posteriormente tornou-se auxiliar de Di Cavalcanti.

Esse é um de seus últimos quadros datado 1956, ano em que faleceu em Nova Délhi na Índia.

Bid
R$ 5.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 5.000,00 (BRL)
Cotações
$ 950.00 (USD)
$ 800.00 (EUR)
$ 92.600,00 (ARS)
Cotações
$ 950.00 (USD)
$ 800.00 (EUR)
$ 92.600,00 (ARS)
183
IVAN MARQUETTI (1941-2004).
"Porta e Paisagem em Diamantina - MG",
óleo s/ tela,
MEDIDAS: 61 X 40cm, na moldura 92 x 71cm
Assinado e datado (1975) no c.i.d. e no verso.

De 1958 a 1961, no Rio de Janeiro, estudou no Instituto de Belas Artes e
Em 1961, participou do Salão Nacional de Arte Moderna.
Em 1962, avesso a mostras e exposiçÕes, fixou-se em Ouro Preto
Em 1963, foi morar e estudar em Paris.
A partir de 1971, realizou diversas individuais:
Recife,
Brasília,
São Paulo e Rio de Janeiro.
Bid
R$ 3.200,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 3.200,00 (BRL)
Cotações
$ 608.00 (USD)
$ 512.00 (EUR)
$ 59.264,00 (ARS)
Cotações
$ 608.00 (USD)
$ 512.00 (EUR)
$ 59.264,00 (ARS)
184
KARL WILHELM VON THEREMIN(1784 - 1852)Vista do Paço Real tomado do embarcadouro no séc XIX 1818 (O PAÇO DA CIDADE TOMADO DA RAMPA)

LITOGRAFIA ORIGINAL AQUARELADA À MÃO

MEDIDAS: 25,6 X 31,9cm.Aquarela e Litografia sobre Papel.

Litografado por LOEILLOT na oficina de L. SACHSE &C. Colorizado à mão. Na Coleção Geyer e Museu Imperial de Petrópolis.

Obras na Coleção Geyer e Museu Imperial de Petrópolis.
Reproduzido a cores no Livro “Paisagem do Rio de Janeiro” por George Ermakoff em pagina inteira.

Karl Wilhelm von Theremin ou Carlos Guilherme von Theremin foi um diplomata, comerciante, Pintor e Desenhista  alemão, Nascido em berlin e descendente de huguenotes franceses, que viveu vários anos no Brasil.
Esteve no país em 1817 para verificar como funcionava a atividade comercial no Rio de Janeiro. Era seu desejo estabelecer-se como negociante na corte de D. JOÃO VI. De fato, em 1820, está de volta com o intuito de radicar-se na então capital provisória do Reino.
Havia por essa época no Rio de Janeiro um grupo de alemães, todos dedicados ao comércio. Theremin logo juntou-se a eles e, em pouco tempo, assumiu certa liderança entre seus compatriotas, bem como entre os suíços ali residentes. Inteligente e empreendedor, logo criou a Sociedade Beneficente Suíça e, em seguida, liderou o grupo de trinta pessoas que fundou a Sociedade Germânica.

O Processo de Litogravura consiste na preparação de uma matriz em pedra calcária desenhada com material de base gordurosa, onde de maneira particular desta técnica, o autor possui grande liberdade nos traços para criar formas sobre a matriz, que logo após a finalização do desenho recebe um tratamento químico para repelir a água e aderir a tinta, vinda de um rolo; Desta forma quando prensada sobre a celulose somente os espaços do desenho que possuem a base gordurosa atraem a tinta, e repelem os espaços em branco que são preenchidos pela água, assim esse processo centenário é capaz de produzir obras únicas e em número limitado, (uma vez que a matriz é desfeita para a produção de novas impressões, e a ação do tempo vai transformando as obras existentes) tornando as peças produzidas cada vez mais Raras.

1 bid
Bid
R$ 1.500,00 (BRL)
1 bid
Valor do lote
R$ 1.500,00 (BRL)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
185
KARL WILHELM VON THEREMIN (1784 - 1852) Vista da entrada do Passeio Público no séc XIX 1835 ( O PASSEIO PUBLICO, entrada da.)

LITOGRAFIA ORIGINAL AQUARELADA À MÃO

MEDIDAS: 25,6 X 31,9cm.Aquarela e Litografia sobre Papel.

Litografado por LOEILLOT na oficina de L. SACHSE &C. Colorizado à mão.

Obras na Coleção Geyer e Museu Imperial de Petrópolis.
Reproduzido a cores no Livro “Paisagem do Rio de Janeiro” por George Ermakoff em pagina inteira.

Karl Wilhelm von Theremin ou Carlos Guilherme von Theremin foi um diplomata, comerciante, Pintor e Desenhista  alemão, Nascido em berlin e descendente de huguenotes franceses, que viveu vários anos no Brasil.
Esteve no país em 1817 para verificar como funcionava a atividade comercial no Rio de Janeiro. Era seu desejo estabelecer-se como negociante na corte de D. JOÃO VI. De fato, em 1820, está de volta com o intuito de radicar-se na então capital provisória do Reino.
Havia por essa época no Rio de Janeiro um grupo de alemães, todos dedicados ao comércio. Theremin logo juntou-se a eles e, em pouco tempo, assumiu certa liderança entre seus compatriotas, bem como entre os suíços ali residentes. Inteligente e empreendedor, logo criou a Sociedade Beneficente Suíça e, em seguida, liderou o grupo de trinta pessoas que fundou a Sociedade Germânica.

O Processo de Litogravura consiste na preparação de uma matriz em pedra calcária desenhada com material de base gordurosa, onde de maneira particular desta técnica, o autor possui grande liberdade nos traços para criar formas sobre a matriz, que logo após a finalização do desenho recebe um tratamento químico para repelir a água e aderir a tinta, vinda de um rolo; Desta forma quando prensada sobre a celulose somente os espaços do desenho que possuem a base gordurosa atraem a tinta, e repelem os espaços em branco que são preenchidos pela água, assim esse processo centenário é capaz de produzir obras únicas e em número limitado, (uma vez que a matriz é desfeita para a produção de novas impressões, e a ação do tempo vai transformando as obras existentes) tornando as peças produzidas cada vez mais Raras.

Bid
R$ 1.500,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 1.500,00 (BRL)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
187
KARL WILHELM VON THEREMIN(1784 - 1852)Vista da Igreja de Nossa Senhora da Glória no séc XIX 1835 ( NA.SA. DA GLÓRIA, TOMADO DE HUM TERRASSO.)

LITOGRAFIA ORIGINAL AQUARELADA À MÃO

MEDIDAS: 25,6 X 31,9cm.Aquarela e Litografia sobre Papel.

Litografado por LOEILLOT na oficina de L. SACHSE &C. Colorizado à mão. Na Coleção Geyer e Museu Imperial de Petrópolis.

Reproduzido a cores no Livro “Paisagem do Rio de Janeiro” por George Ermakoff em pagina inteira.
Reproduzida na p. 200 do livro Brasiliana Itaú - uma grande coleção dedicada ao Brasil, de Pedro Corrêa do Lago (Rio de Janeiro: Capivara, 2009)
Reproduzida na p. 330 do livro Iconografia do Rio de Janeiro, de Gilberto Ferrez (Rio de Janeiro: Casa Jorge, 2000)

Karl Wilhelm von Theremin ou Carlos Guilherme von Theremin foi um diplomata, comerciante, Pintor e Desenhista  alemão, Nascido em berlin e descendente de huguenotes franceses, que viveu vários anos no Brasil.
Esteve no país em 1817 para verificar como funcionava a atividade comercial no Rio de Janeiro. Era seu desejo estabelecer-se como negociante na corte de D. JOÃO VI. De fato, em 1820, está de volta com o intuito de radicar-se na então capital provisória do Reino.
Havia por essa época no Rio de Janeiro um grupo de alemães, todos dedicados ao comércio. Theremin logo juntou-se a eles e, em pouco tempo, assumiu certa liderança entre seus compatriotas, bem como entre os suíços ali residentes. Inteligente e empreendedor, logo criou a Sociedade Beneficente Suíça e, em seguida, liderou o grupo de trinta pessoas que fundou a Sociedade Germânica.

O Processo de Litogravura consiste na preparação de uma matriz em pedra calcária desenhada com material de base gordurosa, onde de maneira particular desta técnica, o autor possui grande liberdade nos traços para criar formas sobre a matriz, que logo após a finalização do desenho recebe um tratamento químico para repelir a água e aderir a tinta, vinda de um rolo; Desta forma quando prensada sobre a celulose somente os espaços do desenho que possuem a base gordurosa atraem a tinta, e repelem os espaços em branco que são preenchidos pela água, assim esse processo centenário é capaz de produzir obras únicas e em número limitado, (uma vez que a matriz é desfeita para a produção de novas impressões, e a ação do tempo vai transformando as obras existentes) tornando as peças produzidas cada vez mais Raras.

1 bid
Bid
R$ 1.500,00 (BRL)
1 bid
Valor do lote
R$ 1.500,00 (BRL)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
189
TOBY JUG - Royal Doulton, England, "Old Charlie".Designer: Harry Fenton (1939-1991). Porcelana de coleção, pintura manual.
Medidas: 14 x 8 x 11 cm.
Bid
R$ 360,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 360,00 (BRL)
Cotações
$ 68.40 (USD)
$ 57.60 (EUR)
$ 6.667,20 (ARS)
Cotações
$ 68.40 (USD)
$ 57.60 (EUR)
$ 6.667,20 (ARS)
190
TOBY JUG- LONDON HORSE CABBY 1850, ENGLAND - RICHTON STUDIES- Porcelana de coleção, pintura manual. Medidas: 12 x 10 x 9 cm.
Bid
R$ 360,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 360,00 (BRL)
Cotações
$ 68.40 (USD)
$ 57.60 (EUR)
$ 6.667,20 (ARS)
Cotações
$ 68.40 (USD)
$ 57.60 (EUR)
$ 6.667,20 (ARS)
191
SALT CELLAR - England Character. Porcelana de coleção, pintura manual, não consta marca. Medidas: 7 x 4 x 4,5 cm.
Bid
R$ 180,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 180,00 (BRL)
Cotações
$ 34.20 (USD)
$ 28.80 (EUR)
$ 3.333,60 (ARS)
Cotações
$ 34.20 (USD)
$ 28.80 (EUR)
$ 3.333,60 (ARS)
192
MENOTTI DEL PICCHIA
Primeira edição
“JESUS Tragédia Sacra”,
datada de 1933.
Escrita por MENOTTI DEL PICCHIA, Obra escrita baseada no Evangélio de S. Matheus que narra a traição de Judas Iscariotes, e a história de que tomado pelo remorso, ele devolveu as 30 moedas que havia recebido por seu ato traidor.
Imigrante Italiano que com apenas cinco anos de idade mudou-se para Itapira, no Interior de São Paulo, onde estudou com JACOMO STÁVALE, seguiu seus estudos no ginásio em Pouso Alegre-MG, e mais tarde forma-se Bacharel em Direito pela Faculdade do Largo São Francisco; Criou o jornal político “O Grito” , e colaborou em vários outros periódicos e jornais paulistanos; Participou da SEMANA DE ARTE MODERNA de 1922. Em associação com CASSIANO RICARDO e PLÍNIO SALGADO, em 1924, cria o Movimento Nacionalista VERDAMARELO; Participou da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA de 1932; Foi membro da ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS ocupando a cadeira n28 em 1943; Recebeu o prêmio JABUTI em 1960,Foi agraciado como “Intelectual do ano” em 1968, Recebeu o prêmio MOINHO SANTISTA, na categoria poesia em 1984.

MEDIDAS: 21cm X 15,5cm. 92pp.. PICCHIA, Menotti Del. - JESUS; Tragedia Sacra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1933. PRIMEIRA EDIÇÃO.Bem encadernado com lombo em couro, conservando a capa da brochura, ilustrações fora do texto em litografia, páginas íntegras com leve amarelado natural do tempo.
Bid
R$ 480,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 480,00 (BRL)
Cotações
$ 91.20 (USD)
$ 76.80 (EUR)
$ 8.889,60 (ARS)
Cotações
$ 91.20 (USD)
$ 76.80 (EUR)
$ 8.889,60 (ARS)
193
EXHORTAÇÃO MILITAR, OU LANÇA DE ACHILLES, AOS SOLDADOS PORTUGUEZES, PELA DEFENSÃO DE SEU REY, REYNO, & PATRIA, EM OPRESENTE APRESTO DE GUERRA. ANNO DO SENHOR 1650... / PELO PADRE TIMOTHEO - Lisboa, Officina Craesbeckiana, 1650.

Rara 1º Edição de uma exortação militar motivacional escrita durante a restauração do reino de Portugal (1640-1668). Timoteo de Seabra (falecido em 1651), frade carmelita e ex-jesuíta, foi também o autor de um sermão polêmico em que o autor afirma que a maior parte do Estado Português foi "corrompido" pelo sangue judeu, propondo para expulsar a maioria da população de Portugal. O presente trabalho aconselha e motiva o Exército Português em sua busca para lutar pela independência portuguesa do domínio espanhol. Ao longo do trabalho o autor faz comparações e analogias usando temas e eventos da antiguidade bíblicos. Texto com extensas referências das obras dos portugueses no Brasil, Índia, Ásia e África. 105 páginas; belíssimo frontispício gravado por Lucas Vorsterman, (1595- 1675), notável gravador barroco holandês, encomendado entre outros, por Peter Paul Rubens e Anthony van Dyck. O frontispício retrata o brasão real de Portugal com uma insígnia da Ordem Militar de Cristo. O brasão real é colocado entre uma figura feminina "Fides" e uma figura masculina "Neutra Satis". Encadernação em pergaminho de época. Frontispício gravado com pequena perda, Bibliografia: Barbosa Machado3, 762; BN Lisboa. Restauração 1, 1404Colégio Fonseca, M. Restauração 393;Inocêncio 7, 370; 18, 205 (217); 19, Visconde da Trindade. Cod.MMC-579

Bid
R$ 12.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 12.000,00 (BRL)
Cotações
$ 2,280.00 (USD)
$ 1,920.00 (EUR)
$ 222.240,00 (ARS)
Cotações
$ 2,280.00 (USD)
$ 1,920.00 (EUR)
$ 222.240,00 (ARS)
194
Franz Post - Barlaei, Casparis. Rerum per octennium in Brasilia et alibi gestarum: sub praefectura illustrissimi comitis I. Marutii Nassaviae. 724 pp.; 9,5 x 15,8 cm, 1660. Clivis: Ex officina Tobiae Silberling. Primeira edição em latim, do mais belo e luxuoso livro da época do Brasil Holandês. Patrocinado por Maurício de Nassau para celebrar sua estadia quando administrador da ocupação das capitanias do norte do Brasil - Pernambuco, Itamaracá, Paraíba e Rio Grande - pela Companhia das Índias Ocidentais neerlandesa. Contém 3 mapas, 5 vistas desdobráveis. Acrescentada com quatro textos do médico Moritz. Encadernação de época, em pergaminho. BORBA DE MORAES: Barleus, Gaspar. Res Brasiliae imperante illustrissimo D.I.Mauritio Nassoviae etc. Principe, per C. Barleum. Accedi G. Pisonis Tractatus de Aere Aquis et Locis cum S.C.M.Privilegio Clivis, Apud Tobiam Silberling, 1660. 15 x 9; retrato de Nassau com as armas de Nassau na p. seguinte (ao lado) , seguido de deic., 4 fls. s.n., 664 pp., 11 fls. c/ índice, 8 gravs e mapas desdobr., (Não tem a gravura do eclipse que Borba de Moraes observa faltar em vários exemplares.)
Bid
R$ 28.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 28.000,00 (BRL)
Cotações
$ 5,320.00 (USD)
$ 4,480.00 (EUR)
$ 518.560,00 (ARS)
Cotações
$ 5,320.00 (USD)
$ 4,480.00 (EUR)
$ 518.560,00 (ARS)
195
Brasil Holandes 1ª. Edição -Piso, Willem, e George Marcgraf Indiae Utriusque re naturali 1658 - Completo

Piso, Willem, e George Marcgraf. Guilielmi Pisonis medici Amstelaedamensis de Indiae Utriusque re naturali et medica Libri quatuordecim, Quorum contenta pagina sequens exhibet. Amstelaedami, Apud Ludovicum et Danielem Ezevirios, Aº. CI ) I ) C LVIII [1658]. 36 x 22; 11 fls. s.n., c/prefácio, dedic., etc., seguido de : ‖Historiae naturalis et medicae Indiae Occidentalis...‖ por Piso, 327 pp., e 5 fls. s.n. c/ìndice, seguido pelo ―Tractatus topographicus et metereologicus Brasiliae . . .‖ por Marcgraf, 39 pp. -Encadernação em couro moderna

Segue-se a ―Historiae naturalis et medicae Indiae Orientalis. . .‖ por Jacobus Bontius, 160 pp, seguido por ―Mantissa aromatica . . .‖ por Piso, 161 pp. (numerado erroneamante 361) até 226, e 2 fls. s.n. c/índice. Numerosas ilustrações no texto. Frontispício gravado.

William Pies, cujo nome ficou conhecido na história sob a forma latina Pisonius e Piso, nasceu em Leyde, em 1611. Estudou medicina na sua cidade natal e em Caen, e praticou em Amsterdam até a sua partida para o Brasil, a fim de substituir o médico de Nassau, que falecera quando de sua chegada. Piso regressará à Holanda com Nassau. Ao que tudo indica, ele não apenas foi o médico do governador do Brasil Holandês, mas também chefe da missão científica enviada para aqui pela Companhia das Indias Ocidentais, a pedido do príncipe. Durante sua permanência no Brasil, Piso realizou estudos comparáveis aos de Marcgraf, alguns dos quais haviam sido publicados dez anos antes, na Historia naturalis Brasiliae, no capìtulo intitulado ―Medicina Brasiliensi.

Piso não aprovou a maneira pela qual Laet havia editado essa obra, que continha erros e fora publicada, como ele explica no prefácio, durante sua permanência no Brasil. Por conseguinte, decidira reorganizá-la inteiramente e publicá-la de novo sob o tìtulo ―De Indiae utriusque re naturali et medica‖. Esta edição reúne quatro obras diferentes: a primeira parte (em cinco livros) contém o ―Medecina Brasiliensi‖, Reliure d'art Nicole Chalifouxe Piso, e a ―Historiae rerum naturalium Brasiliae‖, de Marcgraf, ambas completamente revisadas.

O primeiro livro da primeira parte trata da ―aeribus, locis et aquis‖; o segundo da natureza e das curas para as doenças mais comuns no Brasil; o terceiro dos animais; o quarto das árvores e ervas medicinais e comestíveis; e o quinto dos venenos e antídotos.

A segunda parte contém um tratado de Marcgraf: ―Tractatus topographicus et metereologicus Brasiliae, cum Observatione Eclipsis Solaris‖.

A terceira parte é inteiramente de autoria de Jacobus Bontius e contém a ―Historiae naturalis et medicae Indiae Orientalis.‖ Piso editou o trabalho cientìfico que Bontius, morto nas Índias Orientais, não pudera publicar, provendo-o de notas e comentários.

A quarta parte, que completa o volume, contém um tratado de Pìso sobre a ―Mantissima aromatica.

Piso foi acusado de plagiar Marcgraf e de ter omitido o nome desse último na descrição de inúmeras novas espécies. O próprio irmão de Marcgraf o acusou veementemente. Contudo, na p. 107 desta obra, Piso escreve que emprestou muitos desenhos e notas ao ―optimo et diligentissimo meo domestico Dr. Marcgravius, in nostris peregrinationibus observatus mutatus mutatus sum.‖ Mais adiante, declara que o fato de serem atribuúidas a ele ou Marcgraf o mérito das novas descobertas lhe era indiferente. O que importava era serem úteis aos médicos e pacientes do Novo e do Velho Mundo.

Na verdade, muitos cientistas preferem o modo como o material encontra-se disposto na Historia Naturalis Brasiliae, do que tal como na obra de Piso.

As pranchas são majoritariamente as mesmas da outra edição, assim como o são até mesmo os frontispícios gravados. Embora não levem o nome, seja do artista, seja do gravador, são provavelmente de Matham. Os desenhos originais encontram-se na Biblioteca Albertina, em Viena.

A Historia Naturalis Brasiliae e a De Indiae Utriusque re naturali et medica são obras intimamente relacionadas, e os nomes de Piso e Marcgraf estão tão entrelaçados que é impossível dissociá-los.
Bid
R$ 45.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 45.000,00 (BRL)
Cotações
$ 8,550.00 (USD)
$ 7,200.00 (EUR)
$ 833.400,00 (ARS)
Cotações
$ 8,550.00 (USD)
$ 7,200.00 (EUR)
$ 833.400,00 (ARS)
196
Benzoni Girolamo - ISOLE LA HISTORIA DEL MONDO QUAL TRATTA DELL, & MARI NUOVAMENTE RITROVATI, e DELLE NUOVE CITTÀ DA LUI PROPRIO Vedute, PER ACQUA & POR TERRA POR QUATTORDECI ANNI. Publicado por Venetia: Francesco Rampazetto, 1565. [4], 175 folhas, incluindo numerosas gravuras. A primeira edição deste importante relato inicial do Novo Mundo, o primeiro trabalho significativo baseado em observação de primeira mão por um não-espanhol. Nascido em Milão, Benzoni passou catorze anos viajando pelas Américas, começando em 1541. Ele estava familiarizado com as Antilhas, a Guatemala e a costa oeste da América do Sul, e fornece uma descrição dessas regiões, bem como uma história da chegada de Colombo para a conquista do Peru. Envolvido no comércio, Benzoni rapidamente cresceu para odiar o espanhol e sua administração, e ele os trata desfavoravelmente em seu texto. Ele denuncia os espanhóis pelo tratamento dos índios e pela importação de escravos para a América. As numerosas gravuras no texto representam índios, suas habitações e atividades, e uma boa parte do texto descreve a vida indiana antes de se tornar corrompido pelo contato europeu. O trabalho de Benzoni também é notável por conter uma contagem precoce do uso do tabaco, cacau e bananeiras e outras plantas e árvores americanas. Benzoni foi a figura mais influente em descrever o Novo Mundo na Europa em meados do século XVI. Sua versão final, e talvez mais influente, foi como partes IV-VI de GRAND VOYAGES de De Bry, onde sua inclinação anti-espanhola ajudou a avançar a "Legenda Negra" da depravação espanhola no Novo Mundo. Uma importante relato de primeira mão das Américas, com algumas das primeiras ilustrações baseadas na observação real, aqui em sua primeira edição. Como em quase todos os livros quinhentistas 02 paginas do texto são fac-símiles da edição original. Catalogado EUROPEAN AMERICANA 565/2. SABIN 4790. MEDINA (BHA) I:418. BELL B197. STREIT II:789. ARENTS 10. BRITISH MUSEUM, ITALIAN BOOKS, p.85 Encadernação moderna e pequenos restauros, referência catálogo Sotheby's 11-2007 lote 6. Muito raro. Raro livro com as primeiras cenas de canibalismo nas Américas. Encadernado. Med. 16 x 11 cm.
Bid
R$ 35.000,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 35.000,00 (BRL)
Cotações
$ 6,650.00 (USD)
$ 5,600.00 (EUR)
$ 648.200,00 (ARS)
Cotações
$ 6,650.00 (USD)
$ 5,600.00 (EUR)
$ 648.200,00 (ARS)
197
THOMAS ENDER(1793-1886) Vista da Cidade de Goiás, na Antiga Capitania de Villa Boa, 1832, (Cidade de Goyaz, früher Villa Boa, Hauptstadt der gleichnahmigen Capitanie)

LITOGRAFIA ORIGINAL AUSTRÍACA

Litografado por JOHAN IGNATZ ANTON AXMANN, publicado originalmente no livro Atlas descrevendo viagem no Brasil (Atlas zur Beschreibung der Reise in Brasilien ) de JOHANN EMANUEL POHL. Colorizado à mão.

MEDIDAS: 42 X53,2cm. Litografia água-forte e buril sobre Papel.

Ex Coleção Mauricio Pontual Galeria de arte, RJ. Reproduzida no acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Coleção Brasiliana e na Fundação Estudar.

O austríaco Thomas Ender foi um dos mais produtivos e  renomados artistas viajantes que estiveram no Brasil na primeira metade do século XIX. Ele veio ao país na comitiva que acompanhou a arquiduquesa Leopoldina, casada com o futuro príncipe regente D. Pedro I, a chamada Missão Austríaca. Ender tinha 23 anos quando chegou ao Rio de Janeiro em 14 de julho de 1817. Ficou menos de um ano no país, mas produziu mais de 700 obras, como desenhos, aquarelas e gravuras. Suas famosas aquarelas pertencem ao acervo da Academia de Belas Artes de Viena, da qual se tornou membro e professor, e só ficaram conhecidas no Brasil nos anos 1950. Centenas de reproduções de suas aquarelas podem ser vistas nos três volumes do livro Viagens ao Brasil nas Aquarelas de Thomas Ender.

O Processo de Litogravura consiste na preparação de uma matriz em pedra calcária desenhada com material de base gordurosa, onde de maneira particular desta técnica, o autor possui grande liberdade nos traços para criar formas sobre a matriz, que logo após a finalização do desenho recebe um tratamento químico para repelir a água e aderir a tinta, vinda de um rolo; Desta forma quando prensada sobre a celulose somente os espaços do desenho que possuem a base gordurosa atraem a tinta, e repelem os espaços em branco que são preenchidos pela água, assim esse processo centenário é capaz de produzir obras únicas e em número limitado, (uma vez que a matriz é desfeita para a produção de novas impressões, e a ação do tempo vai transformando as obras existentes) tornando as peças produzidas cada vez mais Raras.





Bid
R$ 1.500,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 1.500,00 (BRL)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
Cotações
$ 285.00 (USD)
$ 240.00 (EUR)
$ 27.780,00 (ARS)
198
Movimento de adesão ao grito do Ipiranga - Independência do Brasil.

Carta de THEODORO JOSÉ BIANCARDI, relacionado ao movimento de adesão ao grito do Ipiranga na Provincia de piaui, em 1822 (ANO DA PROCLAMAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL), sendo assinada por ele (na época Oficial Maior interino da Secretaria de Estado dos Negócios do Reino do Brasil), e destinada á FRANCISCO DE SOUSA MENDES ( Secretário da Junta do governo PROVISÓRIO da província do Piauí) com a finalidade de informar sua nomeação para o cargo na secretaria de estado dos negócios do Reino
Theodoro foi um Importante escritor, político e diplomata do Reino de Portugal e Brasil, escreveu obras como “Cartas Americanas” e foi grande apoiador de DOM PEDRO I no processo de Independência do Brasil. Francisco de Souza Mendes foi nomeado ao governo Provisório em 1822. Estas personalidades foram muito importantes ao processo de adesão ao Grito do Ipiranga na província do piaui compondo o seu movimento.


Transcrição do Documento :

Frente:

Illmo. Im. Francisco de Sousa Mendes

Tendo em succedido, no lugar de official maior da diretoria de estado dos negócios do reino, seo conselheiro josé joaquim Carneiro de Campos, foi me presente a carta q V. da. lhe dirigio, sobre a falta de assignatura nem q se remette no Soua. diria Prov. o aviso de 10 de setembro do mesmo passado; e como não pudesse assegura-lo o ministro q então o mandou passar, por ter sahido desta cidade pa. Portugal, lavrou-se, e assignou-se pelo actual q tenho a de lhe remeter incluso.
estimarei te repetidas occasiões de mostrar q sou.

De V. da.

Respeito Vos. e Im.
Rio em 16 de Fe-
n de 1822.

Theodoro José Biancardi.


Verso:

Resgistre-se Oeiras de Piauhi 25 de janeiro de 1823

ASSINATURAS



MEDIDAS: 41 X 21,3cm. Papel com marca d’agua “J Green 1818”.
1 bid
Bid
R$ 600,00 (BRL)
1 bid
Valor do lote
R$ 600,00 (BRL)
Cotações
$ 114.00 (USD)
$ 96.00 (EUR)
$ 11.112,00 (ARS)
Cotações
$ 114.00 (USD)
$ 96.00 (EUR)
$ 11.112,00 (ARS)
199
Medalha de prata
Condecoração na Exposição Internacional em Comemoração do Centenário do Brasil de 1822/1922
Grito do Ipiranga - Independência

Confeccionada para o Busto das Fardas Militares
Dimensões:
30 mm. de diâmetro
Peso: 13,200 g.
Intacta como foi condecorada na Época, será enviada em caixa de veludo.
Retratando:
Bustos dos Ilustríssimos: Dom Pedro I e Presidente Epitácio Pessoa.
Ao verso, Imagem ricamente detalhada do grito do Rio Ipiranga: "Independência ou Morte"

A Exposição Internacional comemorativa do Centenário da Independência do Brasil (1822-1922) foi inaugurada no dia 7 de setembro de 1922 e se prolongou até o dia 24 de julho do ano seguinte.

A realização de uma “Exposição Universal” no Rio de Janeiro, então capital federal, destacou-se como a mais ambiciosa das atividades comemorativas então programadas. Desde a primeira exposição internacional em Londres (1851), cujo símbolo foi o Palácio de Cristal, as chamadas “vitrines do progresso” sempre apresentaram alguns aspectos em comum, entre os quais se destacavam, entre outros, as motivações comerciais, o afluxo de divisas e turistas, o impacto sobre a infraestrutura urbana, e a difusão de valores e de padrões de conduta. O mais importante, e ainda hoje é assim, era a afirmação do prestígio nacional, representado pelos pavilhões de cada país que constituíam a ossatura das exposições.

A Exposição foi criada pelo Decreto nº 4.175, de 11 de novembro de 1920, foi enfim determinada a realização da exposição dentro do programa de comemorações do Centenário. A regulamentação oficial das atividades comemorativas só ocorreu quase um ano depois, com o Decreto nº 15.066, de 24 de outubro de 1921, que previa, além da exposição, a realização de numerosas conferências e a publicação de dicionários, mapas e livros comemorativos.
Bid
R$ 600,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 600,00 (BRL)
Cotações
$ 114.00 (USD)
$ 96.00 (EUR)
$ 11.112,00 (ARS)
Cotações
$ 114.00 (USD)
$ 96.00 (EUR)
$ 11.112,00 (ARS)
200
Carta escrita em 1889 ( Último ano do Império do Brasil) por THEMISTOCLES SOARES DE ALBUQUERQUE LEÃO para a os conselheiros JOÃO ALFREDO CORREA DE OLIVEIRA(Presidente do Conselho de Ministros) e SOARES BRANDÃO contendo um soneto de sua autoria oferecido como um Tributo de acatamento e amizade para Pernambuco e sua Capital.

MEDIDAS: 23,3 X 35cm. Papel de carta com Linhas.

JOÃO ALFREDO foi um político abolicionista e Monarquista Brasileiro. Integrado no Partido Conservador esteve ligado à formulação da LEI DO VENTRE LIVRE e da LEI AUREA. Foi presidente do Conselho de Ministros, de 10 de março de 1888 a 7 de junho de 1889. Foi chefe do governo e maior adversário de JOAQUIM NABUCO em Pernambuco. Seu ministério assegurou a aprovação parlamentar do projeto da Lei Áurea, sancionada pela PRINCESA ISABEL, que exercia o cargo de regente do império em razão de viagem do Imperador à Europa.
SOARES BRANDÃO foi um magistrado e político Monarquista Brasileiro, formado em direito militou no Partido Liberal, foi ex-presidente de varias províncias e também ex Senador, sendo nomeado Conselheiro poucos anos antes de afastar-se da vida pública, com o advento da República.

Transcrição do Documento:


A Pernambuco e sua Capital
Oferecido aos Cons. João Alfredo e Soares Brandão
Tributo de acatamento e amizade

Princesa do Brasil és a primeira
Terra da Patria, sobre todas bella
A’flor dos mares, como branca vela,
Surges de luz banhada e feiticeira

D’America do Sul na dianteira
Derramas o clarão de aurora della
A história tua d’astros se constella
Da glória mais brilhante e verdadeira

Recife ante o qual se despedaça
O furacão do tempo mais bravio,
Não te abatem os golpes da desgraça!

Ninguém te excedeu nunca em honra e brio;
Ninguém te excederá jamais na graça;
Linge a corôa d’ouro que te envio!


Themistocles Soares de Albuquerque Leão.
Côrte, 16 de fevereiro de 1889.



Bid
R$ 240,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 240,00 (BRL)
Cotações
$ 45.60 (USD)
$ 38.40 (EUR)
$ 4.444,80 (ARS)
Cotações
$ 45.60 (USD)
$ 38.40 (EUR)
$ 4.444,80 (ARS)
201
BARÃO DE CAPIVARY
Fazenda Pau Grande - pioneira no plantio do café na região sul fluminense

Carta escrita em nome de JOAQUIM RIBEIRO DE AVELAR o BARÃO DE CAPIVARY,

O documento data de 6 de março de 1862, um ano antes de sua morte, e é destinado ao Bispo do Rio de Janeiro Conde Capelao mor DOM MANOEL DO MONTE RODRIGUES DE ARAUJO (O CONDE DE IRAJÁ do conselho do imperador) pedindo-lhe a benção para que um coadjutor da freguesia de paty dos alferes pudesse dizer duas missas na capela de sua fazenda devido a distância da matriz da mesma freguesia.

Proprietário da Casa Pau Grande, uma fazenda inicialmente de cana de açúcar e considerada pioneira no plantio do café na região sul fluminense, com diversos recordes de produção.

Teve um filho único reconhecido, Joaquim Ribeiro de Avelar o VISCONDE DE UBÁ. Integrava uma grande família de titulares fluminenses, pois era tio da BARONEZA DO PATY DO ALFERES, do BARÃO DE GUARIBU, do BARÃO DE SÃO LUÍS e do VISCONDE DA PARAÍBA. Tio avô da VISCONDESA DO ARCOZELO e do barão DE SÃO GERALDO, era primo do MARQUÊS DE MARICÁ, do BARÃO DE UBÁ e de DONA GALVINA RIBEIRO AVELAR.

Foi uma das grandes lideranças políticas e econômicas fluminenses no século XIX, sendo vereador e PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL de Vassouras e agraciado barão por DECRETO IMPERIAL de 15 de novembro de 1846 e mais tarde acrescido das honras de Grandeza).

Escrito em papel original da marca MAURÈLE que ostenta em marca d’agua o Brasão Imperial e referente da lei do selo fixo de 1850, feito para amplificar a arrecadação do imposto do selo no Brasil já no próprio papel.


Transcrição do documento:

Exmo e Rmo. Imo. Bispo Conde Capelao Mor
Informe o Revmo. Cônego secretário do bispado.
no 6 de março de 1862 […]
[…]
Diz o Barão de Capivary, fazendeiro da freguesia do Paty do Alferes, que morando muito distante da igreja matriz e querendo que sua família, e domésticos cumprao os desejos que tem de ouvirem missa, principalmente nos dose dias festivos do a…., e por muita falta de sacerdotes na freguesia, vem impetrar de V.Exciª. Rmª. a graça de conceder licença ao coadjutor da mesma fregª. para poder dizer duas missas nos ditos dose dias festivos celebrando h… na capella da fazenda este por tempo de dous anos.
C. a VExciª. Rmª.lhe defira
assinado por……


MEDIDAS: 22cm X 33cm, papel carimbado “melhoramento do meio circulante, J. B. Rs 200”, ostentando marca d’agua: Brasão Imperial “SELLO FIXO DECRETO N 681 DE 10 DE JULHO DE 1850 IMPERIO DO BRASIL 1860 MA.”
Bid
R$ 600,00 (BRL)
be the first to bid
Valor do lote
R$ 600,00 (BRL)
Cotações
$ 114.00 (USD)
$ 96.00 (EUR)
$ 11.112,00 (ARS)
Cotações
$ 114.00 (USD)
$ 96.00 (EUR)
$ 11.112,00 (ARS)
Pagination
institutes
support
Contact
Horário de Atendimento: das 12:30h às 17:30h, das 19:00h às 22:00h e em plantão durante os leilões.
Phone iArremate: (35) 99935-4693
E-mail: sac@iarremate.com
Where are we
Pça Ismael de Souza, 11, sala 9H - Estação
São Lourenço - MG
CEP: 37470-000
Plantão durante o pregão
Telefone: (35) 99948-4697
E-mail: suporte@iarremate.com
© iArremate - Portal de Arte (2013-2021) - powered by PPSW
All rights reserved. No part of this web page may be reproduced in any way or by any means without the prior written consent of iarremate.com.
The unauthorized use or copying of any content of this site, including user accounts or products offered will result in permanent account cancellation.